PRESIDENTES E PRÊMIOS NOBEL NA MINHA VIDA DA PROPAGANDA

 em Artigos

*João Firme

Pesquisando para preencher meu tempo de vida, encontrei no meu currículo que, pela propaganda, fui convidado para entrevistas com os presidentes, general Pinochet, Chile (Santiago, 1977); general Figueredo, Brasil (Brasília, 1983) e Oscar Arias, Costa Rica (San José, 1987), e como jornalista e publicitário, entrevistei Norman Borlang, prêmio Nobel de Agronomia – USA (Passo Fundo, 1970) e Oscar Arias, prêmio Nobel da Paz, Costa Rica (1987, San José).

Com o Pinochet, conseguimos com a Associação Chilena de Agências de Publicidade, após conferência, fazer a Constituição de Colégios Profissionais no 1º Congresso Latino-Americano de Publicidade em Santiago em novembro de 79, convencer o controvertido militar chileno a autorizar no mesmo ano um convênio PUCRS e PUC/Chile para os cursos de Propaganda e Relações Públicas na capital do libertador O’Higgins.

Para o general, Figueredo no dia 2/12/73, entregamos o Galo de Gramado por ter desativado a house agency do governo federal que detinha as contas publicitárias dos Ministérios, Autarquias e Órgãos Públicos.

Oscar Arias foi à entrega dos troféus Paixão Cortes e Galo de Gramado para o Grand Prix, Melhor Anúncio Impresso de Turismo nos dois mares, Atlântico e Pacífico, conquistado pela McCann Erickson de San José, no 1º FIPTUR – Festival Internacional de Publicidade do Turismo e Ecologia realizado em Porto Alegre em 1987.

Norman Borlang, do país de Thomaz Jefferson, nos selecionou entre 5 jornalistas para entrevistá-lo sobre sua pesquisa de genética do trigo numa lavoura trigal da terra de Teixeirinha.

Na época, 1972, éramos estudantes de Ciências Jurídicas e Sociais.

A minha trajetória de comunicador e jurista devo à Propaganda.

*Publicitário e Jornalista

Postagens Recentes

Deixe um Comentário

Comece a digitar e pressione Enter para pesquisar

Do NOT follow this link or you will be banned from the site!