ALAP | Associação Latino-Americana de Publicidade

{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}Artigos e Notícias

ENCONTRO DO BEM RECEBE MÔNICA LEAL E PREMIA JORNAL DO COMÉRCIO

monica (2)
João Firme, Mônica Leal, Giovanni Tumelero e Francisco Antônio Mondadori Valle (presidente do Rotary Independência)

Aconteceu na noite do dia 29 de janeiro de 2019, na Churrascaria Laçador em Porto Alegre, mais uma edição do “Encontro do Bem”, realizado pela Associação Latino-Americana de Publicidade (ALAP) em parceria com o Rotary Club Porto Alegre Anchieta, que promoveu no evento o 27º Encontro de Verão dos Rotarianos.

O Encontro do Bem teve como palestrante a vereadora e presidente da Câmara Municipal de Porto Alegre, Mônica Leal (PP), que falou aos presentes sobre segurança pública. O diretor de operações do Jornal do Comércio, Giovanni Tumelero, recebeu da ALAP o certificado Galo de Gramado-Paris, premiando a pesquisa “Marcas de quem Decide” realizada pelo veículo, que chegará à sua 21ª edição em 2019.

Ao receber a láurea, Tumelero exaltou as raízes familiares. “Sou a quarta geração do jornal e sigo a mesma linha. É uma forma de fazermos as boas ações. ‘Marcas de quem Decide’ é a única que fala das mais lembradas e também das preferidas”, explicou o diretor do Jornal do Comércio. A cerimônia que anunciará as marcas vencedoras ocorrerá no próximo dia 12 de março, no Teatro do Sesi.

Filha de bom soldado jamais bate em retirada

A vereadora Mônica Leal interrompeu suas férias no litoral para comparecer ao Encontro do Bem. Filha do militar, ex-vereador e ex-deputado estadual Pedro Américo Leal (falecido em 2016), Mônica brincou, antes de iniciar sua fala, que aprendeu com seu pai que “até o padre tem que ter um roteiro em seu sermão”.

monica (3)
Mônica Leal discursa, sendo observada por João Firme

A presidente da Câmara Municipal falou da importância da responsabilidade na administração da segurança e da necessidade desta em andar de mãos dadas com o progresso e o desenvolvimento, pois todo o potencial turístico que uma cidade possui é desperdiçado por conta da violência urbana. “Todos vemos na mídia falada e escrita o avanço da violência e isso chega no mundo inteiro. Os turistas não querem vir para um lugar que dá medo”, disse Mônica Leal, acrescentando o prejuízo também na educação, em virtude do cancelamento de aulas.

A vereadora citou uma frase do educador Darcy Ribeiro, ao lembrar que “se nossos governantes não fizerem escolas, em 20 anos faltará dinheiro para construírem presídios”, afirmando que a segurança da população não é um gasto, e sim um investimento, assim como a educação, a cultura e o esporte.

Mônica Leal recordou que, quando candidata ao Senado em 2006, entre suas propostas estava o Ministério da Segurança Pública, implementado pelo ex-presidente Michel Temer 12 anos depois. Outra medida defendida pela vereadora é a proibição de telefones celulares nos setores de pagamento e em salas de auto-atendimento de bancos. “Isso evita que os meliantes avisem seus comparsas, identificando clientes. Em Curitiba foram reduzidos 30% dos crimes de ‘saidinha de banco’”, exemplificou.

Autora da proposta do Disque Pichação, através do número 153, Mônica Leal exclamou que pequenos delitos, se não forem punidos, levam a ocorrências maiores. “Pequenas desordens evoluem para crimes de maior escala. Esse filme eu cansei de ver aqui no Brasil, o país da impunidade”, lamentou, colocando que a segurança é a primeira das liberdades. “Que seja dado ao cidadão a garantia do seu patrimônio mais valioso: a vida. Só assistimos um lado prosperar, o da violência”, complementou a vereadora.

Ao término da palestra, Mônica Leal recebeu do secretário-geral da ALAP e presidente do Instituto Ver, João Firme de Oliveira, os certificados Paixão Côrtes Celestial, Quero-Quero do Bem e de Benemérito do Instituto Ver Hesíodo Andrade.

monica (1)
Pérsio Brinckmann Filho (D) exibe seu certificado, juntamente com André Luís Kuser (E) e João Firme (C)

Também receberam as láureas o presidente do 1º Cartório de Registro de Títulos e Documentos e Pessoas Jurídicas de Porto Alegre, Pérsio Brinckmann Filho e o vice-presidente do estabelecimento, André Luís Kuser. Pérsio dá o nome à sala do Teste do Olhinho do Instituto Ver, ONG que procura evitar a cegueira precoce através de sessões de estimulação e reabilitação visual em crianças de 0 a 5 anos. O Instituto Ver Hesíodo Andrade é situado na Av. Pernambuco, 2623/602, em Porto Alegre.

Texto e fotos: Marco Maciel

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *