ALAP | Associação Latino-Americana de Publicidade

SOBRE LA ALAP

La ALAP – Asociación de Publicidad de América Latina es una organización sin fines de lucro que reúne a agencias de comunicación, y Diseño Digital; y Comunicaciones, con operaciones en América Latina y las naciones de lengua portuguesa y española.
Esta asociación tiene como objetivo el desarrollo, la profesionalización y el intercambio de información y experiencias del mercado de la industria de publicidad latinoamericana.

SON OBJETIVOS

  • Agencias de comunicación asociados y Diseño Digital; y Comunicaciones.
  • Promover Seminarios, Foros, Congresos, Convenciones, Conferencias, Talleres, Exposiciones, Ferias, Eventos y Deportes Artísticas y Culturales;
  • Implementar y desarrollar un sistema de prueba de certificación de depósito de la idea de la publicidad previa de personas físicas y jurídicas a través de su proyecto BANCOMARK – Banco de Comunicaciones y Mercadeo;
  • Difundir y defender la integración latinoamericana de la actividad de la publicidad;
  • Los esfuerzos de las leyes de cumplimiento, códigos éticos, normas-Standard y la autorregulación;
  • Mantener el intercambio de información con organizaciones similares y profesionales procedentes de América Latina y los países de portugués y español; Recomienda el uso de un punto de referencia Lista de precios Servicios internos de las agencias de publicidad;
  • Cooperar con el Gobierno y las autoridades de cada uno de pa en temas de interés educativo, técnica y profesional.

Últimas Notícias

OS REIS MAGO E OS MOSQUETEIROS DA PROPAGANDA

Encontrei em meu baú . artigos  e entrevistas que os considerei exemplo de vida que eu os comparam  com os Magos e Mosqueteiros.

Roberto Duailibi ao receber a Medalha Mauricio Sirotsky Sobrinho no Festival de Gramado de 2007 deu esta joia de afirmação na Revista Advertising,edição 111:”Dediquei meu passado para a construção do meu futuro”. Para ele a função da publicidade é “tirar as pessoas de seus invólucros, de suas amarras e levá-las a assumir atitudes com relação à vida.” E assino embaixo o que o Duailibi tem feito pela propaganda, fundando a ALAP-Associação Latino-Americana em Santiago do Chile e me incluiu sem saber na diretoria como Secretário-geral. Foi Patrono do Festival de Gramado em Buenos Aires em 2006 na Embaixada do Brasil, Patrono do de Gramado em 2007, Patrono da Edição Extra  de 2012 em Montevidéu e 2014 na cidade do Panamá, Presidente do 20º  Festival Mundial de Publicidade de Gramado e este ano Patrono do núcleo da ALAP –Publicitários sem Fronteiras que será apresentado dia 8 de junho, às 8 horas no Café da Manhã no hotel Casa da Montanha. E já está de malas prontas para edição extra  de 2018 para promover o Brasil na nossa Embaixada em Washington.

Luiz Coronel em artigo na ZH, 22/5/2008: Nós os profissionais da propaganda do RS, sem que nosso Estado seja estrela de primeira grandeza na disponibilidade de recursos investidos em comunicação realizamos um bom trabalho. Enquanto RJ e SP administram catadupas de verbas, oriundas de contas de bebidas, celulares, automóveis, afora o manejo de verbas estatais, nós repartimos fatias menores do bolo. Temos nós mesmos,nós mesmos, de edificar nossos fatos,feitos e eventos.  Aí está o Festival Mundial de Publicidade de Gramado realizado nos anos ímpares e para não ficar”com as imensas mãos abanando” como disse o poeta Vinicius, edições extras no exterior desde 2004 quando começou na Embaixada do Brasil. Pincei do artigo desse cabedal de sabedoria e que enfrentou comigo algozes censores da propaganda: “Não será olhando, contemplando,que vamos alcançar os objetivos que justificam tão largo passo”.

Renato Castelo Branco, o maior conferencista do Festival de Gramado de 1981, fez uma avaliação  conforme matéria do Meio & Mensagem, 2ª quinzena de julho, Ainda há luz no fim do túnel.

Pois o pai do Hiran, nosso presidente internacional da ALAP que  inúmeras vezes na agência em SP nos servia cafezinho porque enquanto falávamos, deu este belo ensinamento em Gramado:”Mas por que não podemos fazer pela propaganda brasileira o que Villa Lobos fez pela música, Jorge Amado pela literatura, Di Cavalcanti pela Pintura? Isto é: atingir o universal através do regional”. Comenta o M&M que o grande momento nesse painel no Festival de Gramado de 81 foi quando ele colocou que as agências brasileiras terão que encontrar o caminho para se transformarem na ponta de lança da indústria e da economia nacional – como as grandes agências americanas o foram de seu país. “Com este pensamento, proponho, aqui e agora, que as principais agências nacionais se organizem em um “pool” para criar uma agência brasileira que atue nos mercados internacionais, para apoiar os interesses da nossa economia.

E entre os Reis Mago e os Mosqueteiros, gosto de ser seus  EMAÚS.

*João Firme
Publicitário e Jornalista

O RÁDIO NÃO MORRERÁ ENQUANTO A IMAGINAÇÃO HUMANA NÃO MORRER

*João Firme

 “ERA UMA NOITE ESCURA E TEMPESTUOSA”.

  Nas minhas leituras que a liberdade de imprensa  me proporciona, encontrei um anúncio criativo e lindo de morrer publicado na data de  21 de setembro de 1975 no  Dia do Rádio pelo meu inesquecível amigo Antônio Mafuz que teve seus tempos de Bil Gates  e de São Francisco.

“O Rádio liberta e estimula o teatro da imaginação, é palco para os melhores músicos do mundo e a maior arquibancada de esportes que se conhece.

Cada ouvinte é um co-produtor,desenha seus próprios figurinos,dirige a ação, escolhe o melhor ângulo,decide se é preto e branco ou colorido.

O Rádio é informação. O primeiro a dar as boas e más notícias.

Claro que as análises e os comentários  mais profundos dos jornais, as fotos impecáveis das revistas e a imagem de TV são de um fascínio e de uma importância inegáveis para a cultura humana.

Mas você está muito enganado se pensa que, por causa disso, o Rádio  vai morrer. O Rádio não morrerá  enquanto a imaginação humana não morrer.”

Recordo que neste Dia do Rádio recebi na  Itaí de Porto Alegre, às 23h, a visita de um jovem casal de Curitibanos  que veio me agradecer  por ter atendido o pedido da noiva bonita, com a  leitura de um poema de JG de Araujo Jorge com o fundo da música Orquídeas ao Luar no programa  Salão Grená que o Coli Filho da Rádio Tamoio me cedeu os direitos no RS.

 Nossa conversação de jovens românticos em  paz foi emocionante.

                                                 *Publicitário e Jornalista

                                                   alap@terra.com.br

GALO DE GRAMADO, AGORA É PATRIMÔNIO HISTÓRICO CULTURAL DE GRAMADO

Luia Barbacovei,presidente da Câmara de Vereadores de Gramado e João Firme de Oliveira, fundador do Festival de Gramado e Secretário-geral da ALAP com o Galo de Gramado que agora é Patrimônio Histórico do Município de Gramado, sendo prêmio oficial do Município de Gramado em Cine/TV, Jornal, Revista, Outdoor, TV, Rádio e Web com  inscrição gratuita e julgamento online,a diferença no mundo.

No dia 7 de junho,às 14h o Legislativo de Gramado em Sessão Solene  homenageará a ALAP como entidade de utilidade pública de Gramado que está comemorando 30 anos.