ALAP | Associação Latino-Americana de Publicidade

{:br}{:br}Artigos e Notícias

A ALAP ESTARÁ COMEMORANDO 30 ANOS E SUA ONG, INSTITUTO VER, 10 ANOS. P0R ISSO, HOMENAGEARÁ INÚMERAS ENTIDADES DE SERVIÇOS, JURÍDICAS, MÉDICAS E CIDADÃOS, DIA 9 DE JUNHO, NO 21º FESTIVAL DE PUBLICIDADE DE GRAMADO

CONHEÇA O INSTITUTO  VER NO SITE www.institutover.org.br que pode mudar a história de uma vida, e a trajetória da ALAP-Associação Latino-Americana de Publicidade, entidade sem fins lucrativos ,constituída por Publicitários Sem Fronteiras voltados para projetos sociais no site www.alap.com.br/artigos noticias.

Criado pela Plenna Comunicação

Criado pela Produtora G3

INSTITUTO VER EVITA POR ANO QUE 22 CRIANÇAS FIQUEM CEGAS, ECONOMIZANDO 16 MILHÕES E 500 MIL REAIS PARA PORTO ALEGRE

Os médicos oftalmologistas pediátricos Amadeu Vargas,Giovani Travi, liderados pela Rosane Ferreira,presidente da Sociedade  Brasileira de Oftalmologia Pediátrica nos solicitaram  que no Festival de Gramado de 2007 fosse constituído  o  Instituto Ver, voltado para a estimulação e reabilitação visual infantil,gratuitamente, em crianças com doenças congênitas como catarata, glaucoma e câncer de fundo de olho. e conquistar o Teste do Olhinho (reflexo vermelho), obrigando os hospitais a este procedimento.  Aceitamos o desafio e aconteceu.

Partimos para a luta com colegas voluntários e conseguimos o apoio do  Ministério Público, Lions, Rotary, Fundação Mauricio Sirotsky Sobrinho, entidades de comunicação e veículos, e a lei do  Teste do Olhinho foi sancionada em 2008 em Porto Alegre e 2012 no RS.

A Rosane Ferreira,presidente do Instituto Ver que está lecionando oftalmologia para médicos do mundo na Johns Hopkins School of Medicine Top da Medicina Americana  quer que  a propaganda conquiste para milhares de cidades brasileiras e latinas leis do Teste do Olhinho e núcleos (casas)  de Estimulação e Reabilitação Visual Infantil para evitar a cegueira precoce.

Checando ,diz a Joana D’Arc da visão infantil, “ com  as doenças oculares mais comum que podem levar a deficiência visual severa e/ou cegueira, 22 crianças por ano nasceriam na capital gaúcha que poderiam ficar cegas antes da realização da sistemática do Teste do Olhinho e do tratamento imediato”.

Assim a cada ano, só em Porto Alegre, ocorre uma economia de 16 milhões e 500 mil reais,  graças ao Instituto Ver, diz a Rosane.

Comemoraremos os  10 anos  da trajetória crescente do Instituto Ver no  21º Festival Mundial de Publicidade de Gramado, de 7 a 9 de junho, que precisa para continuar seu trabalho de conscientização e da parceria dos seus fundadores,  ALAP, ABAP, FENAPRO, SINAPRORS, ARP e CNP.

PRESIDENTE DO JÚRI DO PRÊMIO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL DE GRAMADO, GIOVANNI PINTAÚDE É DIRETOR EXECUTIVO DE CRIAÇÃO DA POSSIBLE, AGÊNCIA DIGITAL DO GRUPO WMP E ATUA NA EUROPA CENTRAL E LESTE EUROPEU COM SEDE EM BUDAPESTE–HUNGRIA

7° PRÊMIO UNIVERSITÁRIO INTERNACIONAL DE GRAMADO  PARALELO AO 21º FESTIVAL MUNDIAL DE PUBLICIDADE DE GRAMADO

Giovanni_Pintaude

Tema: Planeta Sustentável – Sugestão do BID – Banco Interamericano de Desenvolvimento

Peças enviadas pela internet e julgadas online: 210

PRESIDENTE DO JÚRI:

Giovanni Pintaúde – Possible – Grupo WPP: giovannipintaude@gmail.com – Budapest – Hungria

Jurados do 7º Prêmio Universitário Internacional de Gramado de 2017

Giovanni Pintaude – Budapest – Hungria;
Sidney Araujo – FCB Dubay: Emirados Arabes;
Ailton Henriques – BBDO Duseldorf: Alemanha;
Pedro Américo Pahl – VML Londres: Inglaterra;
Guto Monteiro – VML New York:USA;
Marco Antônio Nascimento – AD-Murphi: Praga/República Tcheca;
Aminta Aorillac – CM América: Panamá;
Daniel Lomélio – Offshorent Comunicação – São Paulo – Lisboa/Portugal

Brasil:  
Hugo Rodrigues – Publicis – São Paulo;
Raphael Jessourori – Revista São Paulo;
Luis Caê Carácio – Porto Criativo Off-Araraquara;
Felipe Pestana – Araraquara: São Paulo;
Gustavo Gerchnanmline –Youdphotodesing: São Paulo;
Marcelo de Salles Gomes – Meio&Mensagem – São Paulo;
Fred Muller: Globosat –São Paulo;
Zeca Honorato – Agência AMA: Porto Alegre;
Roberto Flores Schmidth – Agência Moove: Porto Alegre;
Roberto Callage – Santa Produtora: Porto Alegre;
Fernando Silveira – Integranet Comunicação:Porto Alegre;
Giorgia Nedeff – Farol Propaganda:Porto Alegre;
Ana Maria Furst de Souza Weiller; Psicóloga Clínica: Porto Alegre;
Andressa Martins – ALAP;
Simara Santos – PROCERGS: Santa Maria;
Isis Schutz Bianchi – Publimager: Porto Alegre;
Delmar Gentil – Sistemadez Comunicação: Porto Alegre;
Anna Almeida – Metrojornal: Porto Alegre;
Beto Hachman – BK Comunicação: Erechim;
Patrícia Lavenère –Artecera Comunicação: Maceió;
Marcos Eizerik – Propaganda Futebol Clube: Porto Alegre;
Pedro Antônio Cherem Filho – MDO Comunicação: Florianópolis;
Roberto Pintaúde – Zebrapop – Porto Alegre;
Rino Filho – Rino Ferrari Filho – Rino Comunicação: São Paulo;
Alfrizio Melo – Italo Bianchi Comunicação: Recife;
Adyr Mazzuco Jr – Mazuco Calumma Comunicação: Florianópolis;
André Saute – Cria Ideias Comunicação: Porto Alegre;
Laura Passos – Engenhonovo Comunicação: Salvador;
Eduardo Almeida – Síntese Comunicação: Fortaleza;
Rafaela Galvão – Galvão Propaganda: Belém;
Paulo Gomes – Agência P: João Pessoa;
Ana Paula Petit Dixon – Dixon Comunicação: Porto Alegre;
Rinaldo Pessoa – RPG Comunicação: João Pessoa

Dúvidas: Luís Caê Caracio, coordenador dos júris online: cae@caracio.com.br – Publicitário sem Fronteiras da ALAP.

Hotel e informações dos eventos paralelos: eventos@ligaturismo.com.br

Inscrições para participação dos trabalhos com direito ao Certificado de Extensão Universitária em Comunicação da FAMECOS/PUCRS: www.festivalgramado.com.br

ATRAÇÕES DO 21º FESTIVAL MUNDIAL DE PUBLICIDADE DE GRAMADO 2017

A gratuidade na premiação profissional  do Prêmio  Criatividade Internacional de Gramado,  interrompido em 2013, está mexendo no cenário mundial da propaganda onde as grandes agências, investem pesado nas inscrições de peças publicitárias  em Cannes, New York, Londres e Buenos Aires.

O Festival  de Gramado como é conhecido pelos publicitários agora voltou com o Soy Louco Por Ti América Fazendo a Diferença permitindo que as agências do planeta inscrevam pela internet uma peça de jornal/revista, outdoor, cine/tv, rádio e web, sem custo, com o tema social” Clima Sustentável “é o que diz no site www.alap.com.br/premiocriatividade com inscrições de março a 15 de maio.

O prêmio Universitário Internacional de Gramado que foi implantado pelo BID-Banco Interamericano de Desenvolvimento em 2005 teve  com o tema solicitado “A Valorização do Idoso na Sociedade,” continuou prestigiado pela Prefeitura de Gramado e este ano é  sobre “Planeta Sustentável” com inscrição gratuita de uma peça por estudantes do mundo até 20 de maio pelo site www.festivalgramado.com.br/premiouniversitario.

O programa idealizado pelo presidente do 21º Festival Mundial de Publicidade de Gramado de 7 a 9 de junho, Sergio Gordilho, co-presidente e CCO da agência Africa  é como a geração Y quer.

Nos 5 eventos paralelos está previsto a fundação de duas associações latino-americanas, a de diretores comerciais de jornais e revistas,e de Rádios.

Outra novidade é a oficialização do Publicitário Sem Fronteiras pelo Patrono desse movimento,  Roberto Duailibi, fundador conosco da ALAP e Presidente Emérito colaborará  com a Propaganda com ONGS e atender convites das Embaixadas brasileiras e de universidades.

E parafraseando Luciano Hulk, da TV Globo, que esteve em 2005 no Festival, em Gramado se pratica Um por todos e Todos por Um, fazendo o bem sem interessar a quem.

*João Firme
Publicitário e Jornalista

HUGO RODRIGUES, CEO DA PUBLICIS, É O PRESIDENTE DO PRÊMIO DE CRIATIVIDADE INTERNACIONAL DE GRAMADO, PARALELO AO 21º FESTIVAL MUNDIAL DE PUBLICIDADE DE GRAMADO

HUGO RODRIGUES, CEO DA PUBLICIS, É O PRESIDENTE DO 1º PRÊMIO DE CRIATIVIDADE INTERNACIONAL DE GRAMADO, PARALELO AO 21º FESTIVAL MUNDIAL DE PUBLICIDADE DE GRAMADO 2017.

Hugo Rodrigues, presidente da Publicis Brasil e da Publicis Salles Chemistri .

1º Prêmio de Criatividade Profissional Internacional de Gramado

Tema: Clima Sustentável  – Sugestão do BID-Banco Interamericano de Desenvolvimento

Peças enviadas pela Internet e julgadas online:  18

PS: Este prêmio foi lançado com o tema proposto no mês de abril de 2017

Presidente do Júri: hugo.rodrigues@gmail.com –Publicis: São Paulo – Brasil

Jurados:

giovanni.pintaude@gmail.com –  Possible -WPP: Budapest – Hungria

sidney.araujo@horizonfcb.com – Dubai: Emirados Arabes
hello@ailtonhenriques.com.br- Dusseldorf -Alemanha
pedroamerico@gmail.com – VML- Londres – Inglaterra
viniciuscunha85@gmail.com – Ogilvy&Mather:  Singapura
ad-murphy@hotmail.com – Y&R: Praga: República Tcheca
aorillac@cma.com.pa- CM América:  Panamá
daniel@offshorent.com- Offshorent Comunicação: São Paulo: Brasil
raphael@revistapiaui.com.br- Revista Piauí -São Paulo: Brasil
philo@agenciamatriz.com.br – Agência Matriz: Porto Alegre: Brasil
beto@agenciamoove.com.br –  Agência Moove: Porto Alegre:Brasil
betocallage@terra.com.br –Santa Transmedia: Porto Alegre – Brasil
m.eizerik@propagandafutebolclube.com.br:  PFC – Porto Alegre – Brasil
andre@criaideias.com.br –Criadeias Comunicação: Porto Alegre -Brasil
pintaude@zebrapop.com –  ZebraPop:Porto Alegre – Brasil
patricia@artecetera.com.br –Artecetera Comunicação: Maceió -Brasil
alfrizio@italobianchi.com.br – Italo Blanchi Comunicação: Recife – Brasil
candido@vendepublicidade.com.br – Vende Pulicidade:Teresina- Brasil
luciano@flapcomunicacao.com.br –FLAP Comunicação: Aracaju – Brasil
lelcaracio@gmail.com –Porto Criativo Off: São Paulo -Brasil
alan@jjdproequipe.com.br –JJdproequipe: Caxias do Sul –  Brasil
gustavo@yudphoto.com.br – Yudphoto: São Paulo: Brasil
fguntovitch@group.com.br- São Paulo: Brasil

.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.–..-.-.-.–.

Dúvidas: Luís Caê Caracio, coordenador dos júris online: cae@caracio.com.br – Publicitário sem Fronteiras da ALAP.

Hotel e informações dos eventos paralelos: eventos@ligaturismo.com.br

Inscrições para participação dos trabalhos com direito ao Certificado de Extensão Universitária em Comunicação da FAMECOS/PUCRS: www.festivalgramdo.com.br

ROBERTO DUAILIBI, PATRONO DO PUBLICITÁRIOS SEM FRONTEIRAS

Publicitarios Sem Fronteiras ALAP

Na foto, os Conselheiros da ALAP, Caê Carácio (esquerda) e Alberto Meneghetti (direita) com o Patrono Roberto Duailibi

No dia 15/02/2017, a Associação Latino-Americana de Publicidade (ALAP), representada pelos Conselheiros Hiran Castelo Branco, Caê Caráccio e Alberto Meneghetti, fez o convite oficial para o fundador da DPZ e Presidente Emérito da ALAP, Roberto Duailibi, ser o Patrono do Núcleo “Publicitários Sem Fronteiras”, que tem por objetivo engrandecer o valor da propaganda para a sociedade, através de parcerias com ONGs, atendendo aos grandes desafios globais, usando as melhores cabeças e talentos da enorme rede de agências associadas à entidade. O Núcleo, coordenado pelo Conselheiro Alberto Meneghetti, será lançado oficialmente durante o próximo Festival Mundial de Publicidade de Gramado, que acontecerá de 7 a 9 de junho de 2017.

Este movimento conta com o apoio da ABAP, FENAPRO/SINAPRO, CNP, ABRADI, ANER, ANJ e ARP,POIS PARA FAZER O BEM NÃO É OBRIGATÓRIO SER ASSOCIADO À ALAP.

MAURICIO, O MEU MELHOR PROFESSOR DE PROPAGANDA

fotografia_alap_post

Depois de uma passagem rápida com o Mauricio Sobrinho na Rádio Gaúcha, seu primeiro empreendimento nas comunicações, aconselhado por ele constituí  três agências, a Minuano,Arauto e Farol,me aventurando com a fundação da Unesul Turismo que vendi para a Unesul Transportes e vai muito bem.

Em 1974, ao receber minha OAB/RS, prestigiado com a presença do meu amigo Sirotsky que foi Publicitário na Mercur,  passei a veicular muito na Gaúcha,  porque era a de maior audiência e as respostas imediatas para o varejo. E na entrega da minha carteira o presidente da OAB/RS agradeceu a presença do fundador da RBS e me anunciou para recitar a Oração do Advogado e surpreendi  os presentes,sob os aplausos do Mauricio,primeiro a levantar-se.

E quis o destino que eu caísse nas graças do Mauricio, convidando-me para participar de inúmeras reuniões noturnas e nestas ele me aconselhou a liderar um movimento e constituir o Sindicato das Agências de Propaganda. Relutei um pouco, mas acabei aceitando o desafio conquistando a primeira carta sindical patronal de agências de propaganda no país, conforme a lei 4.680/65 assinada em 31 de março de 1978 pelo ministro  do Trabalho, Arnaldo da Costa Prieto, um gaúcho que se destacou na Revolução para à volta da democracia liberando Sindicatos,contrariando os militares donos do poder.

Fui convidado pelo fundador do Grupo RBS  para nos reunirmos à noite por 4 vezes.   Ele alinhavou o que o mercado da indústria da propaganda mais queria: a organização da propaganda governamental cujas verbas de Secretarias, Autarquias e Sociedades de Economia Mista eram distribuídas por colegas autônomos que enviavam releases em substituição à propaganda(um horror);  depuração do mercado das agências com a profissionalização da nossa atividade combatendo as agências transitórias que recebiam o faturamento, não pagavam  os veículos; e anunciantes que mudavam suas mídias sem honrar as duplicatas,deixando protestá-las. Acrescentamos só um ítem no nosso dia-a-dia de liderança sindical, a Caravana da Propaganda com publicitários voluntários que nos acompanhariam às cidades geoeconômicas para na Associação Comercial,  num almoço acontecesse uma ou  duas palestras sobre  Propaganda Conquista Clientes. O apoio foi com cumprimentos e sorrisos pela minha ideia e o homem da capital do planalto,  afirmou  que o Sindicato que presidia de Jornais e Revistas e a RBS estariam juntos na promoção.

Estreamos em Santa Rosa, minha terra com uma brilhante palestra  do  Carlos Melzer, pai do Eduardo  Melzer, hoje presidente do Grupo RBS. E o Nelson,  entrou nessa e foi a  Passo Fundo  onde o seu  pai fora radialista. Visitamos 38 cidades gaúchas levando a propaganda como a alma do negócio.

Enfim,tudo que me foi sugerido pelo hábil e generoso Mauricio, realizei no SINAPRO-RS e jamais esquecerei  de um prêmio  ou presente que recebi dele, mandando pagar por 1 ano as mensalidades que eu tinha com a Orquestra Sinfônica que dava concertos aos domingos de manhã e eu estava lá porque sempre gostei de música.

Outra causa e concausa com o Mauricio Sirotsky e Roberto Marinho é o incentivo para continuar com o Festival de Publicidade de Gramado.

E vivo extremamente feliz por ter cumprido uma missão ensinada pelo meu melhor professor de propaganda, Mauricio Sirotsky Sobrinho,por isso  guardo esta foto  com ele e  o governador Amaral de Souza na minha posse na presidência do SINAPRORS, como relicário.

*João Firme

PUBLICITÁRIOS SEM FRONTEIRAS

 É uma maravilha os movimentos  Médicos Sem Fronteiras + 1% Para a Paz para diminuir a violência no mundo e  ambos nos contagiaram na idealização de um núcleo na ALAP de Publicitários sem Fronteiras, pois  estamos realizando a  divulgação da indústria da propaganda na América Latina, desde 13 de setembro  de 2004, primeira Edição Extra do Festival de Gramado na  Embaixada do Brasil em Paris por convite do embaixador Sergio Amaral que hoje está  na Embaixada em Washington.

 Nos acompanhou no país da heroína Joana D’Arc, o governador Germano Rigotto, o ministro da Cultura, Gilberto Gil, e uma dezena de publicitários voluntários que solicitaram para chamá-los nas Edições Extras no exterior e também no Brasil, quando necessário, e assim atendemos seguidamente convites  de Entidades e Universidades,depois de uma avaliação do núcleo Publicitários sem Fronteiras  da ALAP.

Eu e o Reinaldo Lopes, presidente do Festival de Gramado em Paris,  fomos convidar o Marcelo Serpa para a presidência e ele  saiu logo dizendo “estou nessa voluntariamente” e o júri online é  sério, apesar de não ter o calor humano para discussões.

E graças aos Publicitários sem Fronteiras que cresce na ALAP, continuamos  promovendo nosso país e os latinos,depois de Paris,2 vezes,  Buenos Aires, cidade do México, Florença/Itália, Tóquio, Nova York (semana da propaganda), Bogotá, Maputo/Moçambique, 3 vezes; Cuba, 5 vezes, Montevidéu e cidade do Panamá em 2015 e de 7 a 9 de junho também teremos voluntários no 21° Festival Mundial de Publicidade de Gramado,referência nacional do Itamaraty.

*João Firme
Publicitário e Jornalista

festivalgramado.com.br

O RÁDIO NA MINHA VIDA

Aos 14 anos,viajava com o pároco de Santa Rosa aos domingos como corinha para ajudá-lo na celebração de missas no interior e convidava o público pelo Auto Falante para entrar na Igreja.

Aos 18,consegui emprego na Rádio Santa Rosa como locutor e estudava à noite ouvindo música  clássica de  órgão na Rádio Belgrano de Buenos Aires e depois peregrinei por 7 emissoras, chegando em Porto Alegre trabalhei como repórter na Itaí e convidado pelo  Mauricio Sirostsky  Sobrinho passei  para a  Rádio Gaúcha onde aprendi a vender comerciais, fazendo um programa aos sábados com Elis Regina.

Nas agências que fundei, Minuano, Arauto e Farol , e o SINAPRO-RS que presidi por 31 anos, tinha música ambiental para todos.

Em 1965,nossa turma de publicidade da FAMECOS/PUCRS, idealizou uma Exposição dos Financiados da Aliança para o Progresso, fui escolhido como presidente e designado para ir a Washington e Nova York, convidar a Jacqueline Kennedy para vir inaugurar a EFAP no dia 13 de dezembro.

Na capital americana tinha um colega de Cachoeira do Sul que era diretor Voz da América na área brasileira e me proporcionou um estágio de uma semana na emissora que transmitia em onda tropical e curtas em 37 idiomas  para divulgar a maior nação do planeta.

Como trabalho de conclusão do curso, entrevistei por 5 minutos, o secretário-geral da OEA-Organização dos Estados Americanos  e trouxe a gravação para apresentar aos meus colegas, ao governador Meneghetti e a Rádio Guaíba transmitiu na integra o meu trabalho de repórter.

Idealizei  a tese O Direito à Publicidade sem Censura e a  apresentei   em nome da ABAP e SINAPRO-RS no  3º Congresso Brasileiro de Propaganda realizado em 17/4/78, sendo a mesma provada pelo plenário.

E em setembro do mesmo ano, o Ministério da Justiça do governo Figueredo acatou nosso pleito e  extinguiu a Censura Prévia no Rádio e na TV que durou 7 anos na revolução.

No Festival de Gramado de 2017, o presidente do evento,Sergio Gordilho da agência Africa, atendeu meu pedido para termos um painel sobre o Rádio nas Plataformas de Mídia na Internet e vamos fundar a Associação Latino-Americana de Diretores Comerciais de Rádios.

E continuo ouvindo Rádio, no automóvel , em casa e na ALAP quando escrevo e passo e-mails, me sentindo extremamente feliz.

*João Firme
Publicitário, Jornalista e Radialista
alap@terra.com.br

 

Ouça o Spot do Festival de Publicidade de Gramado de 2017 que um grande número de emissoras de rádios está divulgando:

STOP AND GO

DP9aiPMWAAI9YFK

Armando Ferrentini dedica o artigo abaixo a João Firme

Armando Ferrentini
Ou seria go and stop? Porque estamos assim em nosso país: não restam dúvidas sobre uma melhora na economia, em relação a tempos recentemente passados. Está faltando, porém, engrenar. Ou seja, assim como tivemos tempo de queda contínua, precisamos urgente de um tempo de ascensão idem, que compense os estragos que a “tempestade perfeita” fez em todo o Brasil.
Os pilotos de aeronaves sabem que elas só caem quando há a coincidência de vários fatores negativos ao mesmo tempo, provocando, no linguajar deles, uma tempestade perfeita para comprometer a segurança do voo.
Assim ocorreu com o nosso país: governantes absurdamente despreparados para a sua missão, aliados a arrombadores do erário e, ao mesmo tempo, lideranças políticas carismáticas levando consigo multidões incapazes de se livrar do tapa-olho ideológico que já foi a desgraça de muitos países.
 
Resultou então que, em vez de a população em sua grande maioria se unir contra os graves erros que estavam sendo cometidos na administração pública, houve um racha nas preferências políticas, representado singelamente pelo notório “nós” contra “eles”.
 
Quando parecia, porém, que essa etapa estaria superada com a mudança no comando do país, ainda que a substituição ocorrendo com parceiros de chapa da última disputa presidencial, os interesses políticos falaram mais alto, revelando atritos até então não confessados.
 
A cruzada contra o atual presidente da República, que pode não ser flor que se cheire, mas é o que temos, além de ter sido escolhido de comum acordo com os hoje derrotados, contaminou todos os setores simpáticos a quem caiu fora.
 
Estamos agora nos aproximando da votação na Câmara Federal sobre se o presidente da República deve, ou não, ser julgado diante da nova denúncia contra ele interposta junto ao STF pela PGR, nos últimos momentos do comando de Rodrigo Janot.
 
Nossa opinião é que não, levando em conta que o atual ocupante do Palácio do Planalto está a menos de 15 meses de deixar o cargo, podendo os delitos a ele ora atribuídos serem apreciados pela Justiça a partir de 1º de janeiro de 2019.
 
Não estamos defendendo um eventual réu a ser processado por infringir o Código Penal. Defendemos – e tendo em vista a aparente fraqueza da denúncia – a necessidade de o país se reerguer dessa hecatombe que vem nos assolando há três anos.
 
Afastando agora o atual presidente da República, entraremos em nova convulsão política que não sabemos como terminará. Mas, com certeza, sabemos que reverterá o quadro de melhora, ainda que lenta, que estávamos atravessando.
 
Basta que imaginemos o saboroso prato feito que será apresentado ao STF, caso a Câmara dos Deputados autorize o julgamento. Se os nobres integrantes da Alta Corte – nem todos, mas grande parte deles – adoram serem alvos de grandes shows midiáticos, podemos imaginar o tempo que levará esse julgamento, apesar de o país sangrar em nova crise institucional.
 
Sem se falar na controvérsia que surgirá sobre quem deverá terminar o mandato de Temer, que era de Dilma.
 
Para os que discordam, aconselhamos velha lição sempre lembrada em momentos semelhantes: “Ruim com ele, pior sem ele”.
 
***
 
O marketing brasileiro está salvo. Pelo menos, não será desta vez que mexerão com ele, através de um projeto de lei que corre no Senado e, ao que tudo indica – por já estar vivendo por 11 anos passando dos deputados federais para os senadores –, felizmente não prosperará.
 
Noticiamos sobre ele neste espaço do PROPMARK, na edição de 2/10 (Ameaça ao marketing), provocando um alerta no mercado que sensibilizou algumas lideranças.
 
Dalton Pastore, presidente da ESPM, abriu as portas da escola, que de há muito ensina marketing e tem o vocábulo no seu nome, para um debate entre os responsáveis pelas principais entidades do meio, com a curadoria de importantes e conhecidos advogados especializados na matéria.
 
Ao final dos trabalhos, chegou-se à conclusão de que é quase impossível que o projeto seja aprovado na Câmara Alta, não só pela sua pobreza de propósitos, como também pela confusão entre estes, ainda que reduzidos.
 
Nossa percepção é que se tratou de um projeto de lei com duas vertentes: a regulamentação do exercício da profissão, um vício parlamentar em nosso país, e a condenação do anglicismo, transformando o profissional que atua na atividade em mercadólogo e a própria atividade em mercadologia.
 
Uma guerrinha de viés ideológico em um mundo cada vez se utilizando mais, depois da chegada da web, não só do inglês como de outros idiomas.
 
Além do mais, o que é usarmos algumas palavras no seu idioma original, facilitando a sua imediata absorção e compreensão, em um país que usa muito o idioma de outros?
 
O leitor se informará melhor sobre a reunião da ESPM, lendo a cobertura produzida pela nossa jornalista Jéssica Oliveira, nesta edição.
 
***
 
Do ponto de vista do consumidor, a propaganda que lhe é destinada, via analógica ou digital, será sempre aplaudida, quando respeitar um dos pilares da história publicitária: a criatividade.
 
Exemplo disso vem nos brindando continuadamente a agência Talent Marcel, com as campanhas e peças isoladas do anunciante Tigre Tubos e Conexões e também dos Postos Ipiranga, cliente da mesma agência. O público não só não se cansa de ver, como quer mais.
 
***
 
Este Editorial é em homenagem ao publicitário e jornalista João Firme, incansável batalhador pela valorização da propaganda brasileira.
  
Armando Ferrentini é advogado, jornalista e publicitário. Presidente da Editora Referência, que publica o jornal PROPMARK e as revistas Marketing e Propaganda
   
FOTO: Divulgação