ALAP | Associação Latino-Americana de Publicidade

{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}{:br}Artigos e Notícias

CONHEÇA OS VENCEDORES DA 2ª EDIÇÃO EXTRA DO FESTIVAL DE GRAMADO EM PARIS

Galo

Confira a relação dos vencedores da 2ª Edição Extra do Festival Mundial de Publicidade de Gramado, em Paris, que ocorrerá no próximo dia 21 na Embaixada do Brasil na capital francesa. Os premiados que não puderem receber as láureas na França poderão ser agraciados no 3º Congresso Latino-Americano de Publicidade, que ocorrerá em Porto Alegre nos dias 24 e 25 de outubro.

CULTURA
Vencedor: Loja do Bem
Agência: Bolero Comunicação
Inscrição: Ian Thomé

Menção Honrosas:
Peça: Livro 10 Passos Mágicos para o Sucesso
Inscrição: Dionathan Santos

DIVERSIDADE
Vencedor: #MyGameMyName (Vivo)
Agência: África
Inscrição: Sérgio Gordilho

Menções Honrosas:
Peça: Cinto de Segurança inclusive no banco de trás (Vida Urgente – Fundação Thiago de Moraes Gonzaga)
Inscrição: Cinthia Flores

Peça: Acessibilidade
Agência: Bolero Comunicação
Inscrição: Ian Thomé

SUSTENTABILIDADE
Vencedor: Dengue
Agência: Gente Propaganda
Inscrição: Geraldo Souto de Almeida Filho (Geo Filho)

OBRAS SOCIAIS
Vencedor: Fundación Pies Descalzos – Shakira
Inscrição: Andressa Martins

Menções honrosas:
Peça: Projeto APAE Poços de Caldas
Agência: Cervantes/Avalanche Vitória

Peça: Mundo Caslu (Fernanda Gentil)
Inscrição: Andressa Martins

Peça: Instituto Projeto Neymar Jr.

SAÚDE
Vencedor: IncluMojis
Agência: Sistema Dez
Inscrição: Roberto Schmidt

Menção honrosa:
Peça: Quando a vida chama, a dedicação do médico aparece (CREMERS)
Inscrição: Marco Maciel

ARTE
Vencedor: Projeto Meninas Douradas – Book para Debutantes Carentes
Inscrições: Andressa Martins

Menções honrosas:
Peça: A Verdadeira Mágica
Inscrição: Israel Menezes

Peça: Instituto Criar – Fundado por Luciano Huck

AS DAMAS DA SOLIDARIEDADE NA PROPAGANDA

zuau

Com o frio intenso que recém começou, voltei ao guarda-roupa, escolhi peças que ainda podia usá-las por questão de economia e as destinei para o Asilo Padre Cacique, onde era frequentador assíduo na década de 60 com meu colega de microfone na Itaí, Gildo Milmann.

Lydia-Moschetti

Recordo que a grande dama da noite Lydia Moschetti (foto acima) recorria à Propaganda comigo ao microfone para saber quais os pontos de moradores de rua no Centro da capital para entregar cobertores que ela comprava. Numa caminhonete, circulava das 22h até 2 horas da madrugada na entrega dessa dádiva mandada por Deus para que muitos continuassem a viver.

Chegou ao ponto que seus sócios na Indústria de Papelões Moschetti notaram que suas retiradas estavam comprometendo o capital da grande empresa, tal era o volume de dinheiro de cobertores distribuídos com alegria.

palmira

Na mesma linha, outra Dama do Dia, Palmira Gobbi (foto acima), usava a Propaganda nas emissoras de rádio para solicitar jornais e comida para os cães, gatos abandonados e cavalos velhos, magros e soltos na rua porque não prestavam mais para o trabalho e eram acolhidos pela Associação Riograndense Protetora de Animais. Com o Rogério Mendelski e o Sergio Zambiasi, nos aliamos como os Três Mosqueteiros e ajudávamos a tradicional entidade, mas notei um líder como D’Artagnan: o Mendelski, que parava carroceiros que batiam nos cavalos e lhes tirava o relho, sob aplausos de motoristas nos volantes.

Vamos promover o 2º Fórum do Bem-Estar dos Animais no aniversário da Cidade Sorriso, no mês de março de 2019, paralelo ao 1º Festival de Propaganda Ética e Social Internacional de Porto Alegre e os resultados das inscrições de material para concorrer à premiação do Troféu Quero-Quero serão revertidos para a ARPA – Associação Riograndense de Animais que vive momentos de penúrias, sem poder ampliar seus serviços sociais. Jornais e Revistas que assino não vão para o lixo, pois os levo para a ARPA, que me recebe de braços abertos.

* João Firme é Publicitário e Jornalista

EDUCANDÁRIO SÃO JOÃO BATISTA RECEBE PREITO DE GRATIDÃO À CIDADE DE PASSO FUNDO

20180510_122415

Representantes dos Rotary’s Iguatemi e Beira-Rio homenagearam o Educandário e a UPF

Uma reunião-almoço no dia 10 de maio marcou mais uma edição do Encontro do Bem, promovido pela ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade) e pelo Instituto Ver Hesíodo Andrade. O evento prestou uma série de homenagens à cidade de Passo Fundo e foi sediado no Educandário São João Batista, centro de reabilitação que atende crianças e adolescentes com deficiências múltiplas no bairro Ipanema, em Porto Alegre.

Apresentado pelo radialista e publicitário Dorotéo Fagundes, o Encontro do Bem que serviu como a reunião semanal do Rotary Club Beira-Rio recebeu o Reitor da Universidade de Passo Fundo (UPF), José Carlos Carles de Souza, além da mentora e responsável técnica do Instituto Ver, a oftalmologista Rosane da Cruz Ferreira. Ambos ministraram palestras. O evento ainda rendeu um pocket-show de Teixeirinha Neto.

20180510_132213

Da esquerda pra direita: o Reitor da UPF, José Carlos Carles de Souza; a presidente do Educandário, Eveline Streck, ambos com seus Certificados de Mérito de Responsabilidade Social do Instituto Ver; além de Dorotéo Fagundes, João Firme e a Dra. Rosane Ferreira, fundadora e responsável técnica do IVER

O dia em que João Firme e Teixeirinha almoçaram com as estrelas na Tupi

O secretário-geral da ALAP e presidente do Instituto Ver, o publicitário João Firme de Oliveira, justificou o Preito de Gratidão à cidade de Passo Fundo através da bolsa de estudos que conseguiu na UPF na década de 70 para cursar Direito, devido à propaganda que fazia da cidade com o programa de televisão que comandou com o folclorista Paixão Cortes, “Cidades Gaúchas”, na antiga TV Piratini (hoje TVE de Porto Alegre).

Uma história que João Firme nunca esquece é o apoio que recebeu de Teixeirinha para promover o 1º Seminário do Novo Código de Processo Civil, elaborado pelos formandos em Direito da UPF dos quais Firme fazia parte. O projeto foi apresentado na hoje extinta TV Tupi, mais precisamente no “Jantar com as Estrelas” comandado por Airton e Lolita Rodrigues na edição de 23 de agosto de 1973. “Levei uma comitiva de estudantes e pedimos pro Teixeirinha ir com a gente, sem cobrar cachê, pra divulgar nosso evento. O cantor tinha três compromissos naquele dia, mas cancelou todos, pagou sua passagem e a da Mary Terezinha, e tivemos uma repercussão nacional muito grande com o programa”, festeja o publicitário, natural de Santa Rosa, Cidadão de Porto-Alegre, Cidadão Gramadense, e que também se considera Cidadão de Passo Fundo.

20180510_140657

Teixeirinha Neto relembrou clássicos do avô em pocket-show

Teixeirinha Neto, que receberá junto com seu pai o Galo de Gramado-Paris pela música “Querência Amada” composta e eternizada por seu avô, entoou a famosa canção no Encontro do Bem, além de, é claro, “Gaúcho de Passo Fundo”. A tradicional Jornada Literária de Passo Fundo também será premiada Hors-Concours na Edição Extra do Festival de Publicidade de Gramado, em Paris, em 21 de setembro.

Reitor conclui mandato de oito anos na UPF comemorando crescimento

Ao chamar o Reitor da Universidade de Passo Fundo, Dr. José Carlos Carles de Souza, pra realizar sua palestra, Dorotéo Fagundes recordou ter realizado seu primeiro show como cantor e compositor na própria UPF. Em sua fala, José Carlos a classificou como uma instituição comunitária e filantrópica, fruto da vontade da comunidade, justificando com números o crescimento que conseguiu para a faculdade durante seus oito anos de gestão. “Quando assumimos em 2010, tínhamos um orçamento de 195 milhões, e estamos entregando o comando em 2018 com 356 milhões”, celebrou o Reitor, cujo mandato se encerra em junho. José Carlos citou ainda a participação da UPF no Comitê Executivo Pró-Conclusão da Obra da BR-153 entre Passo Fundo e Erechim, a chamada Transbrasiliana, cuja conclusão segue indefinida. “Os políticos infelizmente continuam replicando os erros do passado”, lamentou.

A Universidade de Passo Fundo conta com mais de 18 mil alunos, cerca de mil professores, 1250 funcionários e em torno de 77 mil profissionais formados. Apresenta 60 cursos de graduação, 15 cursos de mestrado, seis de doutorado, 130 grupos de extensão, entre outras atividades. A UPF possui três campi em Passo Fundo, os demais ficam em Carazinho, Casca, Lagoa Vermelha, Palmeira das Missões, Sarandi e Soledade. José Carlos Carles de Souza recebeu o Certificado de Mérito de Responsabilidade Social do Instituto Ver das mãos da Dra. Rosane Ferreira e de João Firme.

Para Rosane Ferreira, crianças diagnosticadas com autismo precisam apenas de óculos

A responsável técnica do Instituto Ver, Dra. Rosane da Cruz Ferreira, afirma que a principal causa de deficiência visual é a simples falta de óculos, apontando que uma criança fica cega a cada minuto no planeta e que 80% da cegueira mundial poderia ser evitada. A especialista em oftalmologia pediátrica recomenda que o Teste do Olhinho – desenvolvido por ela – seja realizado em todas as crianças a cada seis meses até completar dois anos e, depois, anualmente até os 10. Quando o procedimento se tornou Lei Estadual graças ao Instituto Ver em julho de 2007, Rosane recordou que os médicos não sabiam realizá-lo. “Então fizemos um curso teórico e prático, convidamos todos os pediatras no estado e ensinamos”, explicou, complementando que as tratativas para que o Teste do Olhinho seja Lei Federal ainda estão em trâmite. “O Teste do Olhinho não só tem salvo a visão, como também a vida dos bebês”, exclama Rosane Ferreira.

Para a oftalmologista, só em Porto Alegre, 22 crianças estão deixando de ficar cegas por ano desde 2008. Ela alerta para os diagnósticos equivocados de autismo, quando na verdade apenas precisam de óculos por miopia. “A gente não enxerga nos olhos, enxerga no cérebro. O olho é o órgão sensorial que capta a visão, mas se a criança não for estimulada, o cérebro é muito seletivo. Se o olho ficar pra trás, o cérebro desliga o olho. O Instituto Ver trabalha pra lembrar do cérebro não desligar a visão”, esclarece Rosane.

20180510_135752

As crianças do Educandário emocionaram o público do Encontro do Bem

Educandário precisa de 100 mil mensais para se manter

Durante o almoço, os espectadores do Encontro do Bem se emocionaram com a apresentação das crianças do Educandário São João Batista, que cantaram para os presentes a canção “A Diferença é o que nos Une”. Ao final do evento, a presidente da instituição, Eveline Streck, agradeceu a todos, relatando a dificuldade em manter a casa em funcionamento, já que ela gera uma despesa mensal de 100 mil reais. “Tenho que buscar ajuda todos os meses com empresários, porque o governo como sempre não ajuda, eles só vêm aqui para fazer exigências”, criticou a anfitriã Eveline, completando que os gastos apenas com o aquecimento da piscina para a fisioterapia é de dois mil por mês.

O Educandário São João Batista, que completará oito décadas em 2019, abriga 180 crianças deficientes físicas e mentais entre 0 e 21 anos e sua receita vem integralmente das doações. “O que nós oferecemos para nossas crianças é qualidade de vida, muitas delas vem pra cá com doenças terminais”, informa a presidente, que ressalta a importância do imposto de renda devido pelos empresários para o sustento da entidade. “É nossa maior arrecadação. O empresário tem direito por lei a doar 1% do imposto para nós. Ele pode vir aqui pra ver no que pode ser aplicado”, esclarece Eveline Streck.

As inscrições para a Edição Extra do Festival Mundial de Publicidade de Gramado, em Paris, estão abertas até o dia 31 de agosto no site da ALAP (www.alap.com.br), onde contém todas as informações sobre o Festival que acontecerá dia 21 de setembro na França. O site do Educandário São João Batista é www.educandario.org.br, com as descrições das atividades e os dados para as doações.

Texto e Fotos: Marco Maciel

Vídeos do Encontro do Bem no Facebook na ALAP.

Panamá, un país cada vez más digital y oasis de oportunidades de negocio

En Panamá el 59% de la población es menor de 35 años, muchos de ellos son ‘nativos digitales.

Por Revista Summa

Hoy la tecnología hace que la vida de las personas sea cada vez más fácil, los consumidores esperan conectarse en sus dispositivos móviles y encontrar soluciones de manera instantánea, eso los ha llevado a ser más curiosos, exigentes e impacientes y las empresas deben acompañarlos en el proceso de adquirir un producto. Con esto le damos la bienvenida a la era de la asistencia, donde las personas esperan ser asistidos en todo momento.

Con esta discusión dio inicio el Google Digital Day, donde clientes, socios y empresarios, se dieron cita en la ciudad de Panamá para discutir las oportunidades digitales que tienen las empresas en Panamá y en Centroamérica para potenciar sus negocios.

Inés Peralta, Market Lead de Google en Centroamérica y el Caribe manifestó que “Las empresas que mejor van a poder desarrollarse en los próximos años son aquellas que están trabajando en poder dar asistencia a sus usuarios, anticiparse a sus necesidades y brindarles servicio, por eso eventos como el Google Digital Day ayudan a aquellas empresas que están dando sus primeros pasos de inmersión digital, a identificar cuáles son las estrategias y soluciones más efectivas para lograr los objetivos de negocios”.

Durante el evento se destacó que en 2018 Digital es clave para tener un alcance masivo, en el caso de Panamá cuya penetración de internet alcanza el 70%, hay una gran oportunidad de exposición y posicionamiento de negocio en el ecosistema digital, ahondado a esto, aproximadamente el 70% de las búsquedas relacionadas con industrias clave en el país se están haciendo a través de dispositivos móviles convirtiéndose en el segundo país con más penetración de internet vía móvil en Centroamérica.

¿Por qué digital es importante?

“En Panamá el 59% de la población es menor de 35 años, muchos de ellos son ‘nativos digitales’, impulsando la transformación hacia una sociedad cada vez más conectada. Por ello en Panamá y en Centroamérica y el Caribe, el 95% de los usuarios de smartphones siempre o casi siempre buscan en internet cuando quieren conocer de algún tema o producto” aseguró Daniel Castelblanco, Gerente de investigación para Centroamérica y el Caribe de Google..

Castelblanco agregó que “En  los últimos dos años  las búsquedas en dispositivos móviles sobre ideas para comprar o hacer algo  crecieron 85% en Centroamérica, es decir que la influencia digital es cada vez más importante al momento de la compra. En este contexto, las empresas deben estar presentes en digital para conquistar a los consumidores en el proceso de toma de decisiones”

Gracias a la innovación, las empresas pueden saber quiénes son y qué quieren los consumidores, especialmente en Centroamérica y el Caribe donde cada vez hay más población nativa digital, que dominan la tecnología, son mobile first y prefieren internet a la TV. Hoy las estrategias digitales son el camino al éxito de todo negocio.

Publicado originalmente em http://revistasumma.com/panama-un-pais-cada-vez-mas-digital-y-oasis-de-oportunidades-de-negocio/

CASA DA AMIZADE É PALCO DE MAIS UM ENCONTRO DO BEM

FB_IMG_1528664168020

Dr. Odacir Klein (C) com a oftalmologista pediátrica, Rosane Ferreira (D). exibindo seu Certificado de Mérito  de Responsabilidade Social do Instituto Ver

No dia 10 de junho ao meio-dia, na Casa da Amizade das Senhoras Rotarianas de Porto Alegre, aconteceu mais um “Encontro do Bem – Show de Solidariedade por um Brasil Melhor” em benefício da Creche Três Corações, que precisa de reparos em sua rede elétrica.

Compareceu o Secretário da Agricultura do RS, Dr. Odacir Klein, que assinou um Protocolo de Intenções visando ações conjuntas em mutirões sociais de inclusão e desenvolvimento em benefício à sua pasta, com o Rotary Internacional. A oftalmologista pediátrica Rosane da Cruz Ferreira homenageou Klein pelo Instituto Ver Hesíodo Andrade, entidade da qual foi fundadora, que está comemorando 10 anos e atende gratuitamente na agência de publicidade Martins+Andrade, no Morro Santa Tereza na capital gaúcha, crianças com doenças congênitas da visão com estimulação e reabilitação visual infantil.

Também assinaram Protocolos entidades como o Instituto da Criança com Diabetes, através de seu diretor-presidente Balduíno Tschiedel; o SESC Fecomércio com o diretor-presidente regional Luiz Tadeu Piva; e o Instituto Ver Hesíodo Andrade, nas presenças da fundadora e diretora técnica Dra. Rosane da Cruz Ferreira e o presidente João Firme. Também esteve presente o comunicador Dorotéo Fagundes, conselheiro do Instituto Ver e da ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade) e presidente do Instituto Cavaleiros Farroupilha, que terá seu projeto social ambiental “Não Deixem Morrer meu Rio” premiado Hors-Concours na Edição Extra do Festival de Publicidade de Gramado, em Paris, que ocorrerá em 21 de setembro. A Dra. Rosane da Cruz Ferreira, fundadora do Instituto Ver, palestrou sobre a oftalmologia pediátrica e a necessidade do Teste do Olhinho para evitar a cegueira precoce e o uso de óculos para crianças autistas como forma de reduzir a enfermidade.

IMG-20180610-WA0053

Da esquerda pra direita: João Firme, a rotariana Jane Magali Denes, a jornalista Jane Castro e a Dra. Rosane Ferreira, felizes pela vida de fazer o bem.

FOTOS: Marco Maciel

HUGO RODRIGUES E SÉRGIO GORDILHO RECEBEM A ESFINGE ROBERTO DUAILIBI

34644283_600368477007606_1670723427532537856_o

Da esquerda pra direita: Alberto Meneghetti, Hugo Rodrigues, João Firme, Eliana Azeredo e Itamar Gravem

No dia 6 de junho, o secretário-geral da ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade), João Firme de Oliveira, esteve em São Paulo com o criativo Hugo Rodrigues, CEO da WMcCann Erickson, entregando o troféu “Esfinge Roberto Duailibi”, por sua participação como Presidente do Júri da Edição Extra do Festival de Publicidade de Gramado, que acontecerá em Paris, no dia 21 de setembro. Também participaram do encontro na WMcCann os publicitários Alberto Meneghetti (Moove) e Itamar Gravem (Armazém de Mídia) e a organizadora de eventos Eliana Azeredo (Capacitá).

No mesmo dia, a Esfinge Roberto Duailibi também foi repassada a Sérgio Gordilho, co-presidente da Agência África. Vencedor do Prêmio Caboré 2017 na área de criação empresarial, Gordilho abandonou a arquitetura, depois de vir em caravana de ônibus de Salvador participar do Festival Mundial de Publicidade de Gramado no final do século XX. Em 2017, presidiu um dos melhores festivais na era de mudanças.

34719481_601159783595142_2581529963442208768_o

​Na África, Sérgio Gordilho (D) recebeu a Esfinge das mãos de João Firme

Sergio Gordilho presidirá a 2ª Edição Extra do Festival de Publicidade de Gramado, em Paris, no dia 21 de setembro na Embaixada do Brasil. Em Paris, Gordilho receberá um preito de gratidão do Governo do Estado do RS, recebendo o Galo de Gramado/Paris e o Troféu Quero-Quero, símbolo da comunicação do Rio Grande do Sul.

A PROPAGANDA SÓ FLORESCE EM LUGARES LIVRES

37342710_10211422895519512_6482942379543232512_n

*João Firme

Nesses tempos dos meus 84 anos floridos, vivo pesquisando para deixar conhecimentos de uma profissão que teve o triste apelido de “picareta”, assim como “rabugenta”para quem defendia os direitos dos cidadãos e as “parteiras” concorriam com os médicos.

Na época, avarentos e sonegadores de impostos, que São Lucas recomendava o pagamento do “Dai a Cesar o que é de Cesar”, impossibilitavam investimentos em obras sociais pela ”Pátria” pela qual, se preciso, morremos na esperança. Aconteceu no dia 15 de junho de 1982, às 20h no Palácio Piratini (matéria publicada no Correio do Povo), a posse da primeira diretoria da Federação Nacional de Agências de Propaganda, pela qual lutei como “lobo” para existir na forma da lei 4.680/65 a profissão de Publicitário e normalizar o mercado.

Minhas ideias de um mundo melhor foram respaldadas por Antonio Mafuz, meu paraninfo de Relações Públicas na FAMECOS em 1973, o capixaba Hesíodo Andrade, o passo-fundense José Daltro Franchini, os paulistas Luiz e Mauro Salles, o goiano Zander Campos, o mineiro Alvaro Rezende e o brasiliense Dário Rezende.

Prestigiaram a solenidade o então vice-governador Octávio Germano, o Secretário Extraordinário Roberto Eduardo Xavier e cerca de 50 empresários. No seu pronunciamento, o governador Amaral de Souza, palmeirense de valor, declarou que “o governo é o maior anunciante do país, mas se vale da Propaganda para informar, esclarecer, educar, para motivar e orientar a população”. E enfatizou que “Propaganda“ é sinônimo de inteligência e imaginação criadora, mas que esta só floresce em sociedades livres, e que não pode ser um instrumento manipulado pelo Estado, e sim em benefício da sociedade. Disse ainda que já venceu preconceitos e usa a Propaganda dentro de princípios morais e éticos.

Na qualidade de presidente do primeiro Sindicato de Agências no Brasil e Secretário-Geral da Fenapro, agraciei o  governador do Estado do Quero-Quero, com o Galo de Ouro de Gramado, lembrando que a cidade das hortênsias, da qual sou Comendador e Cidadão, seria transformada pelos publicitários brasileiros e latinos no ponto de avaliação e premiação da criatividade da Propaganda Ética e Social. O arcebispo Dom Cláudio Kolling nos abençoou sob lágrimas de alegria. Um “viva” com o Vinho de Cristo.

*Publicitário e Jornalista

ESTÁ FALTANDO OTIMISMO ÀS PESSOAS – Artigo de Roberto Duailibi

A crise econômica mexe com a vida de todo mundo. Quando ela perdura, insiste em não terminar, acaba afetando a todos. É como se uma enorme sombra insistisse em pairar sobre nossas cabeças, a despeito de estarmos todo o tempo buscando a fresta do sol. A falta de boas notícias, o desemprego e o dinheiro curto não promovem apenas ajustes nos nossos orçamentos, mas nas nossas vidas. É como se o povo brasileiro, reconhecido por seu espírito alegre, criativo e amistoso, tivesse passado por uma profunda transformação. Mas não podemos deixar que isso aconteça. Precisamos, todos os dias, buscar nas pequenas coisas, nos pequenos prazeres da vida o otimismo que existe dentro de todos nós.

O ditado de que é na crise que surgem as oportunidades certamente foi criado a partir da perspectiva que algumas pessoas têm em enxergar sempre o lado bom da vida. Se a gente analisar as coisas do ponto de vista histórico, sempre houve e sempre haverá motivos para se olhar para a vida com pessimismo ou com otimismo. No fundo, há muito mais razões para ver o lado bom e não se deixar contaminar por pessoas e pensamentos negativos. Essa forma de agir e pensar certamente diferencia pessoas e empresas na condução de suas histórias.

Em vez de esperar que as coisas aconteçam, eu prefiro esperançar, que tem o significado de almejar, sonhar, agir, fazer com que ao meu redor haja uma aura positiva, gente animada e disposta a olhar para o mundo de uma forma diferente. Do contrário, estaremos sempre produzindo uma onda de pessimismo que não nos levará a nada. No caso da economia, por exemplo, os especialistas sempre dizem que todo ciclo ruim, mesmo que pouco se faça para revertê-lo, em determinado momento, atinge o ponto máximo e reinicia um movimento contrário, promovendo uma nova etapa de crescimento. É nisso que temos de nos apegar e acreditar.

O Brasil já passou por inúmeros momentos como estes e certamente já está reencontrando seu caminho. Quando, em 1968, decidimos abrir a DPZ Propaganda, por exemplo, boa parte das pessoas à nossa volta desaconselhou. Afinal, vivíamos em meio ao regime militar, sob censura, pouco antes tinha ocorrido a reforma monetária com a criação de uma moeda nova e a economia estava em crise. Mergulhamos no trabalho, buscamos, por meio de nossa criatividade e ousadia, definir os caminhos de uma nova forma de fazer propaganda, a propaganda brasileira. Creio que nossa ousadia conquistou as pessoas, irradiou o nosso otimismo e nos permitiu crescer de forma sem precedentes no mercado.

É nisso que acredito. As pessoas precisam passar a confiar mais em seus potenciais, desengavetar projetos, pensar que sempre haverá espaço para as ideias. O Brasil oferece muitas oportunidades, há muita coisa a ser feita. Se em determinadas áreas a tecnologia está produzindo transformações, vamos olhar pelo lado positivo, que chances de negócios essas mudanças podem trazer? Como é possível se adaptar e surfar no novo momento? As respostas estão no quão otimista você consegue ser. O país precisa muito disso, de otimismo.

O poder transformador está na forma de ver as coisas. Quando se tem momentos de crise que perduram, o comportamento médio das pessoas muda, o humor desaparece, as pessoas sorriem pouco, são menos gentis. A agressividade, a disputa e a falta de bom senso, se acentuam. Por isso é preciso agir com maior tolerância, com ânimo, procurar entender o momento de cada um e tentar mostrar, de alguma forma, que com otimismo as coisas podem sempre serem vistas por outro ângulo.

Roberto Duailibi é publicitário e integrante da Academia Paulista de Letras (roberto.duailibi@dpzt.com.br)

PROPAGANDA X PUBLICIDADE

joao-696x418

Perdemos Belmiro Zaffari, grande empreendedor voltado à Propaganda Ética e Social, nosso norte. Por convite do seu Tio Danilo Zaffari, fundamos a Unesul Turismo em 1966 com capital majoritário em meu nome. Encerrei as atividades da Minuano Propaganda que fundei em 1958 e havia sofrido um enorme prejuízo com a realização da EFAP – Exposição dos Financiados da Aliança para o Progresso, no final de dezembro de 1965 quando eu e o Marco Antonio Kramer (trabalhávamos juntos na minha agência) éramos formandos da primeira turma de Propaganda da FAMECOS, junto com o Plinio Cabral, chefe da Casa Civil do governo Meneghetti. Ele desenhou a EFAP porque havia conseguido financiamento da Aliança para o Progresso em 1964 para o asfaltamento da estrada da Produção, uma obra fantástica do Brizola. Mas com a EFAP ficou pra mim a realização de um sonho, que era fazer um curso na Voice of América na capital do presidente Kennedy. E graças à EFAP, minha esperança se concretizou depois de 10 dias de treinamento intensivo no jornalismo e propaganda em Washington.

Com a Minuano, conquistei a conta do grupo Unetral e Unesul Transportes, o maior do sul do Brasil com ramificações no Uruguai e Paraguai e, a pedido do Danilo, fui a Erechim para motivar o talentoso Belmiro em 1966 a trocar a profissão de professor  para assumir o comando do  empreendedorismo da família Zaffari do Planalto e da Unesul Turismo, que deixei em 1967 voltando à Propaganda, quando fundei a Arauto Publicidade. O Danilo estava enfermo por acidente sofrido num rally automobilístico, não conseguiu controlar o “diabetes” para curar a perna ferida e sentiu que sua vida estava terminando.

Muito inteligente, estudioso de fatos sociais, o Belmiro admirava a mídia e jornalistas que escreviam sobre economia e davam informações exclusivas de interesse da sociedade.

Aos domingos de 1968 a 73, eu estudava Ciências Jurídicas e Sociais na UPF, corria com o Belmiro no Parcão e nos dias chuvosos nos encontrávamos por volta das 10h30min com o colega Fernando Albrecht, que ele admirava como eu, no Restaurante Liliput ou Rex e o assunto girava em torno do desenvolvimento da indústria da comunicação no RS, SC e Paraná.

Num desses Encontros, perguntei para o Belmiro qual a diferença entre Propaganda e Publicidade? Sem pestanejar esclareceu: “A Propaganda é Ética e Social, a Publicidade muitas vezes é antiética e corrompe profissionais que dela vivem”. O Fernando anotou a afirmação. Eu, como presidente do Sindicato das Agências de Propaganda no RS, levantei da cadeira e cumprimentei-o com alegria.

Em 2007, fui motivado por uma gráfica que queria ajudar o Instituto Ver Hesíodo Andrade, a ONG da Propaganda, a contar para uma jornalista cases da minha trajetória na Propaganda e na Justiça e o depoimento do Belmiro Zaffari que a jornalista Clarice Ledur conseguiu está no meu livro beneficente “Causas e Concausas da Vida de um Comunicador” na página 126: “João Firme foi o lançador do Turismo Empresa, pois até a época de 1967, somente existia turismo com características familiares.’

Recordarei no livro 2, que será lançado em Paris no dia 21 de setembro na Embaixada do Brasil, que desenvolvi um projeto rentável para a Unesul Turismo comprando diárias em apartamentos de hotéis 4 e 5 estrelas em Porto Alegre, São Paulo, Rio de Janeiro, Salvador e Gramado e passagens da VASP para usá-las em 90 dias. Pagava à vista com aportes da Unesul Transportes. Depois fazia alguns anúncios em jornais e rádios com os menores preços do mercado e vendia rapidamente para grandes empresas. Foi uma “dinheirama” de lucro mensal.

Foi por isso que escrevi o artigo “Turismo sem Propaganda não Existe” que ganhou reprodução na mídia nacional e internacional.

Com o Belmiro Zaffari que está me esperando no céu, “quero trazer à memória o que me pode dar esperança”. (Lamentações 3:21)

*João Firme é publicitário e jornalista

ENCONTRO DO BEM CELEBRA O INSTITUTO DA CRIANÇA COM DIABETES

No  dia 5 de maio, ocorreu ao meio-dia mais uma edição do “Encontro do Bem”, o Show da Solidariedade por um Rio Grande melhor, no Centro de Eventos Laçador, em Porto Alegre. O evento foi em benefício ao Instituto da Criança com Diabetes (ICD), recebendo seu diretor-presidente, o médico endocrinologista Balduíno Tschiedel, que palestrou por 25 minutos, e o publicitário, radialista e cantor nativista Dorotéo Fagundes, que apresentou o Encontro e fez uma performance musical no final da atividade, resultando na formação de um Exército do Bem comandado pelo Rotary Internacional, que ajudará o Instituto da Criança com Diabetes a ampliar os atendimentos gratuitos com esperança e solidariedade da sociedade.

20180505_131527 Balduíno Tschiedel (C, ao lado da esposa) foi homenageado no Encontro do Bem (FOTO: Jane Castro)

Não esperem a cura da diabetes tão cedo, alerta o doutor Balduíno

Formado em Medicina pela UFRGS em 1976, dr. Balduíno trabalha com diabetes há 42 anos. No Hospital Conceição, começou a perceber a dificuldade em atender crianças e adolescentes com diabetes, já que a maioria que possui a doença é a referente ao tipo 2, associada ao envelhecimento, enquanto o tipo 1 faz com que os jovens rapidamente percam a capacidade de produzir insulina, descoberta em 1921 e que chegou a ser saudada pela imprensa da época como a cura definitiva, algo que o médico rechaça nos dias atuais. “Quando se pergunta se existe uma cura para o tipo 2, ocorrerá quando descobrirem o elixir da juventude, da eternidade, então teríamos que viver mil anos. Não esperem a cura do diabetes tão cedo”, lamentou.

O Instituto da Criança com Diabetes começou a ser planejado em 1997, com tudo estruturado no ano seguinte através de uma sociedade civil sem fins lucrativos, em acordo com o Ministério da Saúde, que cedeu o terreno atrás do Hospital Conceição, na rua Álvares Cabral, para a construção do futuro centro de atendimento. “Ali era o lixão do hospital. Comecei a passear por ali, vi aquele terreno vazio cheio de lixo, com carro estacionado de forma irregular. Descobri que ele pertencia ao Ministério da Saúde. Fui à luta, falei com políticos e consegui o terreno com a Yeda Crusius e o então Ministro da Saúde, José Serra. Foi muito rápido”, se recorda Balduíno, que também recebeu recursos do Ministério do Planejamento e apresentou o novo instituto para a sociedade gaúcha em novembro de 1998, no Theatro São Pedro. “Conseguimos a primeira doação da AES Sul, que estava na época entrando no Estado, de 13 mil reais. Não recebemos um centavo sem uma empresa de auditoria do lado”, esclareceu o oncologista.

20180505_123719

O Diretor-Presidente do ICD contou como surgiu a instituição em 25 minutos de palestra (FOTO: Jane Castro)

Governo Lula oferece apenas oito funcionários, e o ICD quase deixa de existir

O prédio que abrigaria o Instituto da Criança com Diabetes foi concluído em agosto de 2003, mas a mudança do governo federal ocorrida naquele ano quase inviabilizou o projeto, com o oferecimento de apenas oito funcionários à instituição, diferente do prometido pelo governo FHC. “Pensavam que eu era ligado ao PSDB, que estaria usando o ICD como trampolim para me lançar, mas eu não tinha ligação com partido algum”, justificou, considerando este seu período mais estressante, em que ia a Brasília pressionar a equipe do mandatário petista, enquanto a imprensa lhe questionava.

Apenas quatro dias antes da inauguração do prédio, cerca de 35 profissionais foram cedidos pelo governo ao ICD, que abriu suas portas em 19 de janeiro de 2004. A instituição ainda receberia mais funcionários no segundo semestre e desde então consegue operar de segunda a sexta, das 8h às 17h, atendendo pessoas de 0 a 20 anos. Uma das maiores preocupações de Balduíno Tschiedel é educar o paciente para evitar sua internação. “Baixamos em 90% as internações hospitalares, fruto da educação e do atendimento multidisciplinar”, esclarece o diretor-presidente do ICD, que apresenta aos jovens vídeo-aulas roteirizadas premiadas internacionalmente. “A educação é a chave para conseguir tratar de doença crônica, senão você está sempre internado, não aprende a manejar sua doença. Tudo que queremos é evitar a internação, que causa infecção hospitalar, estresse na família. Causa muito mais risco do que benefício. Internação é por falta de orientação”, complementa o médico, eleito no fim de 2017 presidente da região América do Sul e Central da Federação Internacional de Diabetes, que possui sete regiões mundiais. A posse ocorreu em Abu Dhabi, nos Emirados Árabes.

Amputação da perna de ex-atacante do Inter aproximou Falcão do Instituto

O dissabor de um antigo jogador colorado seria essencial para a vida de Paulo Roberto Falcão se cruzar com o Instituto da Criança com Diabetes. Sérgio Galocha, atacante do Internacional nos anos 60, precisou amputar uma das pernas em 1997 devido a uma necrose seca do membro inferior, sendo manchete em Zero Hora. Falcão, que na época trabalhava no jornal, doou a prótese para o ex-colega de Beira-Rio, atitude que resultou numa grande ideia do doutor Balduíno. “Estávamos à procura de um ícone para capitanear esse processo, para fazer a Propaganda. Falcão é muito mais conhecido do que eu, o esporte é algo que aproxima as pessoas”, explicou.

O “oitavo Rei de Roma” assumiu a presidência do Conselho de Administração do ICD e a RBS concedeu à instituição a mídia calhau, dando espaço gratuito para a divulgação. “A emissora exibiu a campanha com a música do tijolinho. Foi tudo gratuito na RBS e na agência, menos no ECAD, que não perdoa ninguém. Tivemos que pagar mil reais na época pelos direitos autorais”, se recordou Tschiedel, se referindo à canção da época da Jovem Guarda “O Tijolinho”, de autoria de Wagner Tadeu Benatti e interpretada originalmente por Bobby de Carlo nos anos 60. A música embalou o célebre comercial do ICD veiculado à exaustão na década passada.

20180505_135451

João Firme entregou a Balduíno o Certificado de Mérito de Responsabilidade Social do Instituto Ver (FOTO: Marco Maciel)

A Propaganda Ética e Social para Criança com Diabetes premiada em Paris

O presidente do Instituto Ver Hesíodo Andrade e secretário-geral da ALAP (Associação Latino-Americana de Publicidade), o publicitário João Firme de Oliveira, entregou o Certificado de Mérito de Responsabilidade Social a Balduíno Tschiedel, confirmando que premiará o projeto social do Instituto da Criança com Diabetes como hors-concours na Edição Extra do Festival Mundial de Publicidade de Gramado, em Paris, no dia 21 de setembro na Embaixada do Brasil. “O reconhecimento do Dr. Balduíno é internacional, já que ele preside uma região mundial da Federação de Diabetes”, exaltou João Firme. A decisão do prêmio é do Conselho de Administração da ALAP, cujo site (www.alap.com.br) está recebendo inscrições de projetos e propaganda de responsabilidade social até 31 de agosto. “Qualquer cidadão ou entidade pública ou privada pode inscrever um projeto social sem pagar a taxa de inscrição de R$ 400,00. Este tipo de premiação de projetos sociais pela Propaganda é vontade do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) que, em março de 2004, firmou convênio em Porto Alegre para que a ALAP conscientizasse as Agências de Propaganda Latinas e do Caribe a divulgarem projetos sociais pelas mídias impressa, eletrônica e web”, complementou o experiente publicitário.

Dorotéo Fagundes encerrou o Encontro do Bem cantando três músicas, a última delas uma homenagem ao compositor Mario Barbará, falecido no último 2 de maio, entoando “Desgarrados”, arrancando lágrimas de João Firme, ao mesmo tempo em que o dr. Balduíno Tschiedel transpareceu sua gratidão em participar do evento promovido pela ALAP e pelo Instituto Ver. “Saio daqui ainda mais engrandecido”, exclamou.

TEXTO: Marco Maciel
FOTOS: Jane Castro e Marco Maciel